Orgulho e preconceito

A família Bennet é constituída pelo pai irônico, pela mãe fútil, e pelas cinco filhas. As duas mais velhas, de rara beleza e inteligência, são sempre notáveis em todos os eventos sociais que comparecem, ao contrário das irmãs mais novas, que estão apenas em busca do marido perfeito, principalmente se ele usar uma farda. E a notícia da vinda de um jovem bonito e promissor para a vizinhança é o evento do momento.

E se fingíssemos que esse não é um clássico? Se simplesmente pegássemos esse livro sabendo que era um romance, e lesse sem compromisso? Foi com esse desafio que peguei Jane Austen pra ler. Deixei de lado as análises e as preocupações, as indicações, o sucesso. Peguei esse livro de romance para ler como um livro de romance. E terminei como uma fã apaixonada.

Em um contexto histórico muito diferente do nosso, a vida social das mulheres era limitada a grandes festas  ou a visitas a parentes de outras cidades. Para uma jovem simples, a capacidade de ascensão dependia apenas de sua beleza, sutileza, e habilidades. Qualidades que a irmã mais velha possuía de sobra, enquanto Elizabeth (Lizzy) pecava na sutileza e na delicadeza.

Orgulho-e-Preconceito-1

Na festa organizada pelo Mr Bingley (o novo vizinho), Lizzy conhece Mr Darcy, um jovem rico e terrivelmente arrogante, que a deixa sem par de dança porque não fazia juz a ele. E Lizzy decidiu que ele era arrogante demais para que dançasse com ela de qualquer forma. E enquanto outros personagens aparecem, adicionando mais defeitos ao terrível Mr Darcy, Mr Bingley se mostra cada vez mais apaixonado pela mais velha Ms Bennet.

E quando o antagonista de sua história é você mesmo? Quando nossos defeitos boicotam nossa felicidade? É a partir disso que Jane Austen trabalha, o orgulho de Darcy, e o preconceito de Lizzy, causam efeitos catastróficos cada vez que eles se encontram. E de pano de fundo temos um contexto histórico muito intrigante, de guerras, antigos hábitos e famílias, que complementam a curiosidade do leitor.

A narração em terceira pessoa dá um ar de neutralidade para a narrativa. Isso causa muita ansiedade para saber mais sobre os sentimentos principalmente de Mr Darcy! Haha! Mas  coloca o leitor em uma situação privilegiada frente aos sentimentos que eles mesmos não aceitam (querendo torcer o pescoço deles!). Darcy aparece carrancudo e enigmático, entrando e saindo de cena muitas vezes sem falar nada. E Lizzy julga sua atitude como arrogância, e com seus pressupostos não faz nenhuma força para reparar nos detalhes!

Claro que Jane Austen merece outro post no blog. Falaremos de mais técnica, mais contexto, mais informações. Mas a parte isso, os dois são um casal adorável, e teimosos, de forma que a leitura pode ser feita sem compromisso, respeitando apenas os hábitos da época. E assim, é impossível não se apaixonar por casal tão cabeça dura!

FICHA TÉCNICA
Título: Orgulho e preconceito
Autor: Jane Austen
Ano: 1812
Compre: Amazon | Submarino | Saraiva | Americanas
Saiba mais: Skoob

  • Sérgio Magalhães

    Um livro essencial para qualquer leitor! Apaixonante, bem escrito e fruto preciso de uma época. Adorei a resenha, parabéns 😀

    • LigiaColares

      Estranho pensar que tive tanto receio de ler! Y.Y Muito obrigada pelo elogio, Sérgio!!